Black Friday em tempos de pandemia: como se preparar — para vendedores

black

Faltam menos de três meses para a Black Friday, que este ano ocorrerá em 27 de novembro. Após meses de subsequentes prejuízos para o setor comercial — e para a economia, como um todo —, a importância desta data torna-se ainda maior.

Embora o mês de novembro seja marcado por uma forte temporada de compras — devido a sua proximidade com os feriados de fim de ano e com o pagamento do 13° salário —, quem trabalha com comércio precisará de especial atenção à sua estratégia de vendas nessa próxima Black Friday.

Afinal, a pandemia de Covid-19 continua a exercer seu impacto, e ainda que as coisas melhorem até novembro, o distanciamento social continuará a ser necessário até que toda a população seja vacinada.

Assim sendo, para evitar aglomerações em lojas físicas, o e-commerce terá especial importância na Black Friday deste ano. Logo, se sua empresa ainda não tem atuação digital, desenvolver uma plataforma de e-commerce é algo a ser feito em caráter de urgência.

E-commerce para a Black Friday

É necessário destacar que muitos servidores possuem limite de acessos ou planos compartilhados, o que pode fazer com que seu site fique sobrecarregado e o consumidor tenha problemas para realizar a compra.

Para não correr o risco de que isso aconteça, entre em contato com o fornecedor da hospedagem para verificar os limites de seu site e as possibilidades de flexibilização do plano para o período em questão.

Além disso, é importante checar se seu site possui certificado SSL/TLS, o qual o classificará como seguro (trata-se daquele ícone de cadeado no início da barra de endereços) e garantirá a segurança do consumidor ao criptografar informações enviadas e recebidas.

Plataformas que não contam com certificado SSL/TLS podem perder vendas e ter seu lucro comprometido devido ao aviso de site não seguro que comumente é exibido quando alguém tenta acessá-lo.

Experiência do usuário

Como já acontece (ou deveria acontecer) na venda física, a experiência do usuário precisa ser considerada durante o desenvolvimento ou reestruturação de um e-commerce.

Uma plataforma intuitiva, de fácil utilização e com layout atrativo faz toda a diferença e pode ser o grande diferencial entre seu site e o do concorrente; ou seja: é uma vantagem competitiva.

Como se planejar para Black Friday e que ações tomar

Além das questões relativas ao e-commerce, preparar-se para a Black Friday demanda planejamento estratégico. Isso inclui a definição dos produtos que entrarão em promoção, qual será o desconto oferecido para cada item e, é claro, que ações de marketing serão adotadas.

No que se refere aos produtos, uma boa dica é conceder os melhores descontos àqueles que não têm muita saída e estão parados no estoque e/ou aos produtos que de alguma forma atraiam o consumidor para uma nova compra — no e-commerce é possível adicionar uma seção “compre também”; quanto maior a relação com o produto já adquirido pelo consumidor, maior a chance de que ele se interesse pelo novo item.

Uma vez que os produtos tenham sido definidos, o planejamento da divulgação é o próximo passo. No ambiente digital, essa divulgação normalmente acontece por meio de posts e anúncios no Google e nas redes sociais, além, é claro, de hotsites conversivos.

O e-mail marketing é também uma ferramenta poderosíssima. Para garantir que ele retorne bons resultados, verifique sua base de leads e, caso seja necessário, tente atualizá-la e renová-la — isso pode ser feito através de uma Landing Page.

Por fim, considere desenvolver uma estratégia com influenciadores digitais. Embora muitos ainda tenham preconceito com esse tipo de divulgação, o trabalho com influenciadores tem retornado resultados efetivos para dezenas de empresas.

Outras dicas valiosas

Entenda o mercado

Faça pesquisas com sua base de leads para compreender a expectativa de seus clientes, suas dúvidas, insatisfações e sugestões. Isso pode ser feito diretamente pelo seu site, através de formulários online ou pelas próprias redes sociais.

Passado é aprendizado

Para quem já tem experiência com a Black Friday, a análise de dados e resultados de campanhas anteriores certamente trará informações valiosas, mostrando o que funciona e o que não funciona, o que deve ser mantido e o que ainda precisa ser melhorado em sua estratégia de divulgação e vendas.

Só venda o que você realmente pode entregar

Adquirir um produto na Black Friday para depois ser informado sobre sua indisponibilidade é extremamente frustrante para o consumidor e gerará imenso transtorno para a sua empresa.

Embora muitos produtos estejam estocados por causa da pandemia, a revisão de estoque continua a ser necessária para uma avaliação precisa do que realmente compensa ofertar na Black Friday e o que pode acabar trazendo prejuízo.

Tenha um SAC à disposição do cliente

Ter uma equipe de plantão para prestar atendimento imediato é importantíssimo na Black Friday. Se as ofertas são por tempo limitado, um cliente que não obteve resposta rápida provavelmente optará por adquirir o mesmo produto com um concorrente.

Atente-se ao poder do cliente

No ambiente digital, o cliente pode avaliar a qualidade de seu atendimento ou do próprio produto ou serviço em diversas plataformas. O Reclame Aqui é um dos sites mais famosos para esse tipo de feedback — mas você não gostará de ser notificado por eles.

Seja honesto

Falsos descontos só causarão transtorno e impactarão negativamente a imagem da sua empresa. “Black Fraude” já se tornou um trending topic frequente nas redes sociais, em dias de Black Friday. Além disso, há diversos sites que monitoram variações de preço ao longo de todo o ano, expondo a fraude.

Leia também:

Consultoria em gestão estratégia: qual o momento certo para contratar?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta