Nova tendência nos negócios: o capitalismo de stakeholder

O capitalismo de stakeholder tem sido cada vez mais pautado nos debates econômicos internacionais. É preciso entender esse novo modelo de negócio.
capitalismo de stakeholder

No final do mês de janeiro, dos dias 25 a 29, o Fórum Econômico Mundial de Davos realizou um evento online, o “Davos Agenda”, no qual foram abordadas questões sobre a recuperação econômica mundial no pós-pandemia.

Ao longo dos dias do evento, uma das principais pautas ao longo dos dias do evento foi o capitalismo de stakeholder. O mesmo ponto também ocupou boa parte da agenda do Fórum no ano passado.

É importante salientar que o capitalismo de stakeholder tem sido cada vez mais pautado nos debates econômicos internacionais. Além disso, a ascensão desse tópico foi acentuada pela pandemia da COVID-19.

Avaliação do capitalismo de stakeholder na COVID-19

Klaus Schwab, fundador e diretor executivo do Fórum Econômico Mundial de Davos, avalia que as empresas que adotaram o verdadeiro capitalismo de stakeholder foram as que melhores conseguiram contornar e enfrentar a crise decorrente da pandemia.

“As empresas com economia voltada aos stakeholders compreendem que uma emergência de saúde global, como a COVID- 19, exige que todos os intervenientes sociais se reorientem temporariamente para dar a resposta necessária à emergência, e têm a agilidade e a preparação para fazê-lo. Isto não é uma coincidência. São as mesmas empresas que otimizaram para a prosperidade a longo prazo, e cultivaram o capitalismo das stakeholders. Durante estes tempos, e quando tudo isto acabar, devemos apoiar tais empresas. Elas representam o modelo econômico que nos fará sobreviver hoje, mas prosperarão novamente amanhã.” 

Klaus Schwab

O que é o capitalismo de stakeholder?

Para entender o termo, vamos começar explicando o que é um “stakeholder”. Uma tradução da palavra poderia ser público de interesse.

Isso significa que “stakeholder” é aquele que tem interesse e influência nas tomadas de decisões das empresas. Ela se diferencia dos “shareholders” (acionistas) por incluir empregados do negócio e a própria sociedade.

Nesse modelo de capitalismo, a empresa precisa gerar valor para todos os interessados e afetados por ela, o que inclui seus empregados, a população e, até mesmo, o meio ambiente. Diante disso, empresas vão além da geração de lucro para acionistas.

Exemplos de empresas que adotaram o capitalismo de stakeholder

A Unilever, segundo Klaus Schwab, é uma grande empresa que adotou esse método. Ela atuou, por exemplo, durante a pandemia ao doar US$ 50 milhões em produtos de higiene para a Plataforma de Ação Covid, do Fórum Econômico Mundial e da OMS.

A empresa dinamarquesa Maersk é outros exemplo:

“Ela ofereceu os seus navios e espaço de carga para fazer chegar bens de emergência onde forem necessários no mundo, mantendo ou criando rotas marítimas que não são necessariamente comercialmente viáveis”

Klaus Schwab

Diversas outras empresas estão em processo de adoção do capitalismo de stakeholder, como é o caso da Nestlé. Com isso, é perceptível que a agenda ESG tem se expandido no setor privado.

Adotar o capitalismo de stakeholder no seu negócio

Esse novo modelo está se tornando uma tendência, já visto como o “novo modelo econômico”. Fazer uma avaliação dos benefícios trazidos pelo capitalismo de stakeholder é fundamental.

A implementação desse sistema exige reformas internas nos negócios que levam tempo. Os resultados também começam a aparecer durante o processo, nada tem efeito imediato.

A consultoria da MR16 está a disposição para retirar mais dúvidas e ajudar no processo de implementação.

Mentoria empresarial: o que é e por que contratar

Importância da segurança cibernética para empresas

Gostaria de ter estratégias semelhantes aplicadas à sua empresa?

Fale com um de nossos consultores para saber como podemos gerar mais resultados para sua empresa.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *